fundo parallax

Um roteiro pela Croácia

25 de julho de 2018
Workshop – O Barroco em Portugal e os Vinhos Portugueses
21 de julho de 2017

SOBRE O PAÍS

A Croácia não é um país rico, apesar de ser a república mais desenvolvida da ex-iugoslávia e de possuir um alto índice de desenvolvimento humano.

Sua localização estratégica entre o Leste e o Oeste colocou a Croácia no caminho das maiores batalhas da humanidade. Foi invadida várias vezes e por vários povos diferentes, um dos fatores que explicam a diversidade cultural e gastronômica no país.

A população croata é de origem predominantemente eslava e se formou principalmente por imigrantes vindos da Ucrânia. Um povo festeiro, feliz e bastante receptivo, bem parecido, nesse aspecto, com o brasileiro.

País majoritariamente Católico Apostólico Romano, na Croácia a tradição e valores familiares são muito valorizados. Normalmente os filhos que saem de casa para estudar em outra região do país retornam para a cidade de origem para aplicar ali os conhecimentos adquiridos.

A moeda local é o kudo e o turismo uma das principais atividades econômicas do país, que vem se recuperando de uma dura e recente guerra no início dos anos 90 contra a Sérvia.

Além de uma beleza natural estonteante, a Croácia vem se destacando na gastronomia, vinhos e azeites que vem sendo aprimorados a cada ano.

SUGESTÃO DE ROTEIRO

De carro pelo continente e de veleiro pelas ilhas. Vamos lá, vamos conhecer um pouco desse país.


ZAGREB-ROVINJ-PLITVICE LAKES-ZADAR-TROGIR-SPLIT-HVAR-KORCULA-PELJESAC PENINSULA-STON-DUBROVNIK

Zagreb


Capital e uma ótima porta de entrada para o país.

Costume local
  • Aos sábados de manhã o café é no centro da cidade, nos bares das ruas Bogoviceva ou Tkalciceva.
Dicas rápidas:
  • Caminhar pela parte alta da cidade e no final do dia assistir às lamparinas das ruas (ainda à gás) serem acesas manualmente. Subir com o funicular da Ilica e descer pelo Stone Gate.
  • Assistir a um concerto no Zrinhevac Park no sábado.
  • Sunday Antique Fair na British Square e um brunch na Kava Tava.
  • St Mark’s Church e Zagreb Cathedral valem uma visita.
Curiosidade
  • Museu das relações terminadas/The Museum of Broken Relationships – único espécime no mundo e, pasmem, bem interessante.
Onde comer:
  • Mali bar
  • 5/4 Restaurant
  • Lari & Penati
  • Bistro Karlo
  • Apetit City

Istria - Tradição em gastronomia e região das trufas e azeites


Saindo de Zagreb a dica é seguir para a região da Istria, passando para almoçar no Martin Pescador em Trget, uma típica vila de pescadores localizada no estuário do Rio Rasa a tempo de chegar em Rovinj para o pôr-do-sol, se possível, apreciado do meio do mar com o SUNSET PADDLE (www.adistra.hr/en).

Rovinj é conhecida como a pérola azul do Adriático.

Medieval, a cidade é famosa pela ótima gastronomia e galerias de arte bacanérrimas.

A Igreja de St. Euphenia é a maior atração da cidade. Dizem que sua torre foi inspiradas na Catedral de São Marcos emVeneza e a curiosidade fica por conta da estátua de cobre de St. Euphenia que fica no alto da Igreja e que mostra a direção do vento.

Pratos típicos:
  • Manestra – sopa de feijão e tomate
  • Pasta com trufas
  • Ovos mexidos com trufas, aspargos e cogumelos frescos
Onde comer
  • Restaurant Barbar Danilo
  • Restaurant Puntulina – vista e ótima comida típica com bom custo/benefício
  • Restaurant Monte – caro mas considerado o 2º melhor da Istria
  • Restaurant Orca – comida típica da Istria – muito frequentado por locais fica em uma região residencial de Rovinj
  • Wine Bar Tomasso – para experimentar os vinhos da região
  • Koza store e Prostor – produtos típicos e de design. A Prostor fica no Hotel Lone, uma ótima opção de hospedagem

Um “day tour” pela região da Istria
Motovun - Groznjan - Zavrsje - Oprtalj - Monjam


A 48 km de Rovinj chega-se às ruínas medievais de Motovun, um bom exemplo de cidade antiga da região. Após a visita à cidade e caso se quiser almoçar, a sugestão é o Tavern Mondo.

Goznjan é uma vila que tem grande orgulho das suas tradições, heranças culturais e beleza natural que foram enobrecidos, inclusive, pela arte.

Saindo de Goznjan, passar por Zavrsje, uma vila mística, abandonada, mas que fica no alto de uma colina e vale uma parada.

No caminho de volta para Rovinj a sugestão é agendar uma visita e degustação de vinhos e azeites na KABOLA Winery (www.kabola.hr/en) ou na moderna KOZLOVIC Winery (www.kozlovic.hr/en) que ficam na charmosa vila de MOMJAN. No passado, a região de Momjan era conhecida como uma das mais produtivas regiões de vinhos na Istria e de onde saía grande parte dos vinhos que abastecia a aristocracia do império Austro-Húngaro. Dependendo do horário, vale passar no restaurante KONOBA STARI PODRUM (fica muito perto da Kozlovic Winery). Muito bom!


Plitvice Lakes


O Parque Nacional mais belo da Croácia, reconhecido pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade.

São 16 lagos interconectados por uma série de cachoeiras e situados em uma floresta povoada por cervos, lobos, ursos e aves raras. Os lagos são famosos pelas suas cores que variam entre azulado e verde, cinza e azul.

Para sugestões de trajetos dentro do parque a dica é consultar o site www.onedayinacity.com/one-day-plitvice-lakes-croatia/

Existem ainda opções de passeios guiados (www.aviator.com)

Dentro do parque existem 3 restaurantes/cafés e o ticket de entrada engloba as travessias de barco, que muitas vezes valem a pena serem feitos para encurtarem um pouco as distâncias.

Estacionar o carro e seguir para o Gate 2, onde as entradas deverão ser compradas.


Zadar


A dica é caminhar pelas ruas de pedras, da Igreja de São Donato e a Catedral de Santa Anastácia até o convento beneditino de Santa Maria e o maior fórum romano do leste Adriático, fundado pelo primeiro imperador romano, Augustus.

Uma atração contemporânea interessantíssima é o SEA ORGAN, uma mistura de idéias humanas com a energia do oceano, um lugar para relaxar e contemplar o oceano e o concerto da “Orquestra da Natureza”. The “Greeting to the Sun”é uma instalação super bacana, em que os elementos de luzes são acesos juntamente com o pôr-do-sol e produzem um show de luzes maravilhoso ao ritmo das ondas e dos sons do The Sea Organ.

O Garden bar é a dica para um drink.

Não deixe de experimentar o queijo de cabra da Pag Island (ilha próxima a Zadar). Já foi considerado um dos melhores queijos do mundo.

  • Kornat – o mais indicado
  • Fosa
  • Komoba Martinac
  • Kavana Lovre
  • Brusqueta
De Zadar para Split a dica é dar uma parada em Trogir.

Trogir


Uma pequena e linda vila medieval cercada por muros fortificados, com ruas estreitas e pequenas casas de pedra.

Os destaques enquanto se caminha por essa charmosa e histórica vila é a Catedral de Lourenço e seu magnífico portal em estilo românico do séc. XVIII; a antiga prefeitura (séc XV) e a torre de Karmelengo de frente para o Adriático.

Pratos típicos em Trogir são a Pasticada e o Tragir Rafioli valem ser experimentados. Se preferirem cordeiro, a dica é ir até Boraja (15 min. de carro) e almoçar no Restaurante Torcida, o cordeiro ali servido é considerado o melhor da Croácia.

De Trogir seguir para Split.


Split


Com mais de 1700 anos de História, Split é a segunda maior cidade da Croácia e, na minha opinião, uma das mais interessantes e vibrantes.

A maior atração da cidade é o Palácio de Diocleciano cuja construção se iniciou em 293 DC. O imperador romano era apaixonado pela vila, foi seu primeiro habitante e se mudou definitivamente para o Palácio assim que se aposentou onde veio a falecer. Recomendo uma visita guiada ao palácio (1 hr de duração). Não é caro e a visita se torna bem mais rica e interessante.

Para quem curte arte , sugiro uma visita à IVAN MESTROVIC Galery. Ivan Mestrovic é o mais famoso escultor croata. Nascido em Split, o museu era a antiga casa de verão da família. Você se impressionará com a força e expressões das esculturas, bem como com a beleza da casa e jardim.

No mais, Split merece ser explorada e degustada. Andar pelo centro histórico, pela bela orla e aproveitar a deliciosa “vibe” da cidade. Vale pelo menos 1 noite.

OMIS e GATA – A day tour

Fundada aos pés do monte Dinara e circundada pelo Rio Cetina e pelo Adriático, OMIS é uma cidade de contrastes históricos e naturais. Durante a Idade Média era ocupada por corsários (piratas), que deixaram vários vestígios da sua passagem na cidade velha e fortes. Prestem atenção na vista espetacular do canyon do Rio Cetina.

Seguir para GATA, que foi a sede da República Poljica e uma comunidade autônoma que existiu na Idade Média com leis próprias e que foi a primeira a reconhecer o direito de todos à vida na Europa.

Em GATA a dica é almoçar no Seljacka Kuca (www.klikcup.com/en/restaurant/seljacka-kucs-gata-croatia-en) , restaurante familiar onde se deve experimentar a especialidade local do período da República Poljica – soparnik e a tradicional Peka, dois pratos que tem asreceita originais tombadas pela UNESCO e são consideradas patrimônio da humanidade.

Onde comer e beber em Split:

  • Dvor – tradicional e muito bom
  • Zbirac – bar descolado, com gente bonita e uma vista linda
  • Paradox e Zinfandel (wine bars) – queijos e vinhos locais
  • Bokeria – tapas croatas
  • Uje Oil Bar – comida tradicional da Dalmácia – familiar
  • Tavern Fetivi
  • Kadena


Hvar


Hvar talvez seja a mais conhecida ilha croata. Famosa pelas suas festas em terra e no mar durante o verão, Hvar tmb tem muito história pra contar.

A ilha ganhou poder e glória durante a Idade Média devido à sua localização estratégica para o Império Veneziano. Possui a maior e uma das mais charmosas praças da região da Dalmácia, que é rodeada por palácios e edifícios históricos.

A Catedral de Santo Estéfano, os Monastérios Beneditinos e Franciscanos, a Casa do Arsenal e uma belíssima construção renascentista do SÉC XIII que foi o mais antigo teatro da Europa em 1612. Hvar ainda é conhecida pelas suas rendas e vinhos ali produzidas em várias vinícolas que podem e devem ser visitadas.

A dica na cidade é alugar um barco (privativo ou em grupo) e seguir para as ilhas Parkleni onde estão as mais belas e intocadas praias da região. Palmizana é a ilha mais movimentada e habitada e é lá, no Zori Restaurant, que sugerimos o almoço.

A partir de Hvar, as ilhas de Vis e a Gruta Azul em Bisevo também merecem uma visita.

O hotel que recomendamos é o Adriana Hvar spa Hotel. Mesmo para quem não estiver hospedado por lá, um drink no Roof Top do hotel no final da tarde é imperdível.



Korcula


Charmosa, mais vazia, menos conhecida, linda. Korcula é um destino que recomendo muitíssimo na Croácia.

Famosa por se acreditar ser a terra natal de Marco Polo (o primeiro navegador e viajante do mundo) e com mais de 2000 anos de história, Korcula é inteira um monumento. A Catedral de São Marcos, o museu de ícones com uma incrível coleção de arte bizantina e a casa de Marco Polo são algumas das atrações na ilha. Mas o melhor ali é caminhar, curtir o clima calmo e a beleza da vila e das paisagens e saborear uma excelente gastronomia. Azeites e vinhos de Korcula são famosos em toda a Croácia.

A dica é um almoço no Konoba Mate, no vilarejo de Pupnat.

Reservar um jantar especial no Lesic Dimitri Palace caso não se hospede por lá – um hotel palácio em que cada quarto é decorado com objetos e estilo de um dos destinos visitados por Marco Polo ao longo de suas navegaçõespelo mundo. Maravilhoso!

A partir de Korcula pode-se contratar pequenos barcos de pescadores para ir a praias locais, belíssimas e desertas ou uma lancha privativa para Mljet – a mais verde e lindíssima ilha croata famosa pelo seu belo Convento Beneditino

KORCULA – PENÍNSULA DE PELJESAC – STON - DUBROVNIK

A dica é sair de carro de Korcula em direção à Península de Peljesac (15 min de ferry).

A Península de Peljesac é considerada uma das melhores regiões vinícolas da Croácia e a estrada até Dubrovnik é sensacional.

Uma parada na Korta Katarina, vinícola com uma sala de degustação lindíssima e uma loja onde se pode adquirir alguns dos ótimos vinhos ali produzidos. (www.kortakatarinawinery.com/kkwines.php)

Seguir para STON, uma cidade com um dos muros mais extensos da Europa construído na Idade Média.

Ali em Ston e na Baia de Mali são produzidas excelentes ostras e a dica é almoçar no Restaurante Bota Sare, onde se poderá agendar um tour pelas fazendas de ostras da família na linda baía e já na divisa com a Bósnia (www.botasare.hr/?restaurant=ston) . As ostras de Ston, aliás, eram famosas desde a Idade Média e conhecidas como o melhor afrodisíaco no período romano, o que fez dessa cidade um paraíso para os foodies lovers.

Após o almoço seguir para Dubronik onde o carro deverá ser devolvido.



Dubrovnik


Dubrovnik é conhecida como sendo uma das mais belas cidades de pedras do mundo. Mais de 1000 anos de história reflete em toda parte e uma visita guiada tmb aconselhável (temos guias em inglês e português). O Monastério Franciscano preserva uma das três farmácias maius antigas da Europa ainda em funcionamento (cheia de asiáticos, foi aqui que comprei um maravilhoso creme para a região dos olhos). Coluna de Orlando, Palácio de Sponza, Igreja de São Blazius, o Palácio Rector e a Catedral da Virgem Maria são algumas das várias atrações na cidade.

Na cidade costumam acontecer concertos incríveis no teatro de Dubrovnik que, aliás, fica no auge do seu charme, beleza e tranquilidade no final da tarde e entrada da noite quando a multidão de turistas volta para os navios.

Os muros de Dubrovnik são os mais bem conservados da Europa e uma das coisas imperdíveis na cidade é andar por eles. Subir com o Cobblestone para uma vista incrível e assistir ao sunset no BUZA BAR também são programas que devem ser feitos enquanto estiverem na cidade.

A partir de Dubrovnik, a dica é ir até a marina (fora dos muros) e fazer um day-tour para as Elaphiti Islands. É um passeio de um dia inteiro em que você visitará as 3 ilhas do arquipélago e nadará em lugares incríveis e escondidos no Adriático. Kalocep, Lopud (onde me deparei com uma instalação maravilhosa do Olafur Eliasson em meio a um lindo jardim) e Sipan, onde tivemos uma almoço espetacular.

Onde comer em Dubrovnik:
  • Taj Mahal – comida bósnia – excelente!
  • Proto – badalado restaurante de peixes na Cidade. Procure uma mesa no terraço e fique de olho, a chance de você se deparar com o Djokovic ou com o cineasta Francis Ford Coppola será grande.
  • Lokanda Peskerija
  • Azur
  • Orsan – para almoço junto à orla

Pois é, a Croácia é um mundo. Um enorme mundo de história, beleza natural, gastronomia, vinhos, azeites. Um país com um povo gigantesco em alegria e receptividade, apesar das guerras e dificuldades passadas ao longo de tantos anos.

Feliz por apresentar esse roteiro a vocês e por fazer essa pequena homenagem a um país que me recebeu tão bem, me encantou e que, merecidamente, chegou à final da Copa do Mundo 2018 com um futebol alegre, forte e lutador e que bem refletiu do seu povo.

LET’S TASTE THE WORLD AND CROATIA WITH US!

Os comentários estão encerrados.